Linkedin Youtube Facebook

contato: contato@arturximenes.com.br

Para ler

15/09/2016

A gestão adequada de seus Recursos Humanos pode fazer a diferença

Vivemos a era do ser humano como fator preponderante para o sucesso das organizações. A competitividade nos desafia e instiga diariamente, colocando cada vez mais o ser humano no topo das soluções. É fato que não serão as maquinas nem os recursos financeiros que inventarão ou descobrirão os novos caminhos, oportunidades e possibilidades, mas sim, o ser humano que preparado, treinado, provocado, sabiamente valorizado e remunerado, colocará sua inesgotável capacidade de questionar a serviço das organizações, descobrindo, criando e fundamentalmente imaginando novas verdades e possibilidades para cada negocio; A curiosidade e a coragem humana são alguns dos propulsores das inovações, da criatividade, dos resultados superiores ou simplesmente da evolução de qualquer empresa.

Portanto, fique atento a todos os seus recursos humanos e não só nos talentosos, construa um ambiente que possibilite a formação e descoberta de novos valores profissionais, crie mecanismos inteligentes para a retenção e captação desses valores, foque cuidados especiais nos profissionais que possuem poder de execução, naqueles que conseguem transformar sonhos, desejos, metas, planejamento e intenções em resultados efetivos e preferencialmente positivos, independente do cargo/função que ocupem, esses são os principais ativos de qualquer empresa.

Avaliar, acompanhar e nortear a equipe regularmente é a missão de todo líder, missão essa que não pode ser delegada a ninguém.

                   Rotina básica de avaliação individual que pode lhe ajudar:  
                                                                                                                                                                         
- Se o profissional sabe e quer, disponibilize tudo que for possível para que ele possa fazer a parte dele e se sinta realizado, proporcione feedback periódico e continue colocando lenha em sua causa ou motivação; Nesses casos a meritocracia pode funcionar bem.

- Se o profissional não sabe, mas quer, avalie as necessidade e deficiências que devem ser supridas, disponibilize os treinamentos, faça acompanhamento próximo e proporcione feedback positivo até que os resultados sejam satisfatórios.

- Se o profissional sabe, mas não quer, tente descobrir o que pode esta provocando aquele comportamento (falha de comunicação, de feedback, de recursos, mudança de gestor, acomodação, liderança fraca etc.) faça as correções necessárias e possíveis, defina metas em conjunto e cobrança nele.

- Se o individuo não sabe e não quer, promova-o imediatamente, para a concorrência, é claro! O mau exemplo é contagioso e custa muito para qualquer organização.

Tratamento igual desmotiva, portanto: “Para profissionais diferentes, tratamento diferente”.

Não existe uma única receita de sucesso, o processo de formação de uma equipe é continuo, não para nunca, portanto cada líder ou gestor precisa continuar a fazer seu bolo usando os ingredientes que possui levando em conta sua realidade.

Suce$$o a todos. 
 



Todos os direitos reservados Artur Ximenes 2014